Rua Refinaria Mataripe, 428 – Vila Antonieta – São Paulo – SP

(11) 2253-7690

Associação dos Consultores Assessores e Articuladores Politicos do Estado de São Paulo

Sem assessor político não existe parlamentar!

Viver em Comunidade, viver no Trânsito !!!!

Postado em 06 de junho de 2017

 

É necessário nos conscientizarmos de que o trânsito não é algo distante e somente propriedade dos veículos. Ser trânsito, viver trânsito, inserir se no trânsito… Faz parte do nosso cotidiano e interfere integralmente na nossa qualidade de vida.

”Uma vida inteira pode mudar em um simples passeio.” (Denatran).

A complexidade do sistema de trânsito tornou-se tão expressiva que, para refletir sobre suas prioridades e o alcance das medidas a serem implantadas, foi preciso entendê-lo não só como um sistema que necessita de um código de regulamentação, mas como uma atividade que implica na vontade de quem nela ingressa, e na garantia de seu direito fundamental de ir e vir.

Assim, exercitar seus direitos, a cidadania e sustentar um relacionamento sócio ético e responsável requerem do indivíduo um aprendizado. Este passa antes de tudo pelo conhecimento – cada um de nós faz parte de um grupo grande de pessoas, cuja identidade comum é a língua e os valores morais. Vivemos mesclados no mesmo espaço. Assim, torna-se fundamental que respeitemos os valores e direitos do outro, e, para tal, o conhecimento de seu papel como uma peça articuladora e vital para a boa ordem e a perfeição do sistema de trânsito.

Portanto, é preciso oferecer informações claras sobre o direito de se integrar um sistema de trânsito, na posição de condutor ou pedestre, com a consciência que sua funcionalidade só se dará quando houver o respeito mútuo  e individual.  Necessita- se de um planejamento que adeque tal informação a maturação do individuo, dispondo de meios que possibilitem acessibilidade a qualquer deficiência e nível de compreensão. Vale evidenciar que a atitude ética rompe com a individualização do ato de se deslocar pela via e não privilegia interesses pessoais. Então, estabelece assim, que trafegar é parte do exercício da cidadania.

 

Sandra Santos

Psicóloga especialista do Trânsito

Leia Também